Sugestões de mudanças no trânsito do bairro Costa e Silva não agradam comerciantes

 

Um debate na Comissão de Urbanismo da Câmara de Vereadores de Joinville, sobre a situação do trânsito no encontro das ruas Almirante Jaceguay e Codornas, no bairro Costa e Silva, revelou a preocupação dos comerciantes do local.  A maior divergência na reunião foi em torno da proposta da Secretaria de Planejamento Urbano e Desenvolvimento Sustentável (Sepud), de fazer o trânsito ser de mão única nas ruas Araquã e Inambu, no sentido Centro-bairro. Os comerciantes são contra essa alteração e apresentam receio com os prejuízos de uma eventual perda de clientes.

De acordo com representantes de associações de moradores, a situação do trânsito na área é caótica  O entroncamento entre as ruas Almirante Jaceguay e Codornas, não tem semáforo. Há mais ou menos um ano teve o fluxo intensificado pelo tráfego dos clientes do supermercado Fort Atacadista. Outros pontos importantes que geram movimento na região são o campus do Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) e a Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

A duplicação é, como explicou o consultor de urbanismo da Câmara, o arquiteto Julio Cezar Souza, a solução ideal. A Prefeitura alega dificuldades econômicas para realizar as desapropriações e, consequentemente, as obras. Em 2017, por exemplo, destinou apenas R$ 1,1 milhão para desapropriações de imóveis na cidade inteira.

Plano Diretor

A rua Almirante Jaceguay é uma das vias destinadas à duplicação desde o Sistema Viário Básico estabelecido no Plano Diretor de 1973. Deveria ter 30 metros de largura, cruzar a cidade de leste a oeste, da BR-101 até encontrar a rua Iririú. Porém, apenas um trecho de 1,1 km da rua está efetivamente duplicado e há outros tantos de chão batido e com interrupções, como na região próxima à paróquia referida anteriormente.

Rotatória

As demais sugestões do consultor envolviam a utilização de parte um terreno já desapropriado pela Prefeitura para o alargamento e duplicação da rua em um trecho de forma a possibilitar a instalação de uma rotatória que diminuísse o risco colisões entre veículos. O terreno margeia a calçada  da Almirante Jaceguay entre as ruas Codornas e Juriti. Souza apresentou três possibilidades de aplicação da sugestão, considerando limitações orçamentárias da Prefeitura.

Inicialmente, o presidente da Associação de Moradores Rui Barbosa, Vanderlei Monteiro, pediu a realização de uma audiência pública no bairro. Porém, a partir de 7 de julho, com o começo do período eleitoral, audiências públicas só podem ser realizadas na própria Câmara. O tema voltará a ser debatido na reunião de Urbanismo marcada para o dia 21 de agosto.

//