Faltam servidores nas equipes dos postos de saúde, diz sindicato

 

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Joinville e Região (Sinsej), denúncia a falta de pessoal em todos os setores do município. De acordo com o sindicato, servidores são transferidos com frequência, quando novas contratações deveriam ser feitas.

“É o caso do Posto Aventureiro III, inaugurado em 27 de junho. Para que três equipes fossem formadas, metade dos agentes comunitários de saúde  do Posto Aventureiro II foi transferida. Mesmo com os quatro servidores deslocados, duas equipes ficaram com apenas um agente.”, informa nota emitida pelo Sinsej.

A entidade sindical, também alerta que em várias equipes faltam profissionais como técnicos, médicos e até mesmo agentes administrativos. “Muitos agentes  são colocados para atender a recepção e realizar atividades que não são suas, o que é um desvio de função e deve ser combatido.”, diz a nota.

Técnicos

 Outro problema relatado pelo sindicato,  é a quantidade de técnicos por equipe. “Apesar do Ministério da Saúde preconizar que só é necessário um técnico por equipe, a prática em Joinville sempre foi de colocar dois funcionários desse setor para melhor atender a comunidade. Os técnicos realizam procedimentos como vacinação e curativos, porém, para que não haja contaminação, é expressamente proibido a um técnico realizar as duas atividades no mesmo período. Ou seja, com apenas um técnico um atendimento ou outro estará sempre fechado. Quem perde com isso é a comunidade.”, explica o Sinsej.

Odontologia

A nota finaliza informando também, sobre a falta de profissionais  na área odontológica. “Não bastasse a Prefeitura deslocar servidores de uma unidade onde já não há profissionais suficientes para atender a população, ainda continua o problema da falta de materiais. No Posto Aventureiro III tem equipamentos e profissional deslocado para atender na odontologia, mas não há insumos e o atendimento está parado.”, conclui.

Mesma situação no bairro Vila Nova 

O presidente do Sinsej, Ulrich Beathalter, acrescentou que a mesma situação é vivida no bairro Vila Nova, na Zona Oeste de Joinville, que no último dia 9 inaugurou uma Unidade Básica de Saúde da Família (UBSF). “A situação do posto recém inaugurado no Vila Nova, é a mesma sofrida pelo posto de saúde do Aventureiro.  Despem um santo para vestir outro.”, apontou Ulrich. “Entre 2016 e 2017, o número de servidores municipais em Joinville caiu de 10,841 para 10.611, ou seja, 230 servidores a menos. Sem concurso desde 2014, a Prefeitura utiliza a manobra dos remanejamentos para não gastar, e assim, vai sucateando o serviço público. Com isso, os CEIs e  postos de saúde  que estão sendo inaugurados, são entregues a comunidade sem o número adequado de servidores” , observou.

 

 

//